Viagem a Madagáscar

Viagem de aventura a Madagáscar por alguns dos lugares mais selvagens e remotos. Descubra as excentricidades, história e cultura da ilha mais antiga do mundo.

Viagem Madagascar avenida baobas Viagem Madagascar avenida baobas
Africando

Viagem de Aventura

Aventura em Madagáscar

Nesta viagem de aventura a Madagáscar iremos atravessar a ilha de canoa e veículos 4×4 por algumas das suas regiões mais remotas e selvagens.
Serão dez dias de completa aventura e imersão cultural onde iremos mergulhar nas suas tradições, descobrir algumas das suas excentricidades e viver experiências inéditas nesta ilha de características únicas.
Apelidada como Ilha Vermelha, Ilha do Arco-Íris ou Oitavo Continente, esta ilha é mais conhecida pela sua fauna e flora únicas mas é também o lugar de um dos episódios mais invulgares e menos compreendidos da pré-história humana. Madagáscar foi colonizada há cerca de 1200 anos por um pequeno grupo originário do Sudeste Asiático, que resultou numa cultura e tradições ímpares.
Tudo isto fazem de Madagáscar um dos lugares mais enigmáticos do planeta. Venha connosco descobrir as suas praias paradisíacas, caminhar pelos parques naturais repletos de vida ou passear pelas aldeias com cheio a baunilha no ar.

Porque fazer a viagem de aventura a Madagáscar

Madagáscar é possivelmente a ilha mais antiga do planeta desde a sua separação de África há cerca de 150 milhões de anos, fazendo fez com que muitas espécies de flora e fauna evoluíssem isoladamente.
A ilha é povoada por lémures, fossas, camaleões, aye-ayes e todo o tipo de plantas que apenas existem aqui como embondeiros e palmeira-dos-viajantes.
Venha conhecer a singularidade e diversidade dos seus parques naturais, a explosão de vida marinha e a migração anual das baleias-de-bossa.

  • Destino seguro

  • Espetacularidade e diversidade de paisagens

  • Fantástico destino de vida-selvagem e praia

  • Grande diversidade de povos e culturas

Melhor época para a viagem a Madagáscar

A ilha é suficientemente grande para ter diferentes tipos de clima entre o norte, sul e interior. No entanto, de um modo geral, a melhor altura para visitar Madagáscar é entre Junho e Outubro. Entre Janeiro e Março é época das chuvas com possíveis furacões normalmente no mês de Fevereiro.

  • Jan
  • Fev
  • Mar
  • Abr
  • Mai
  • Jun
  • Jul
  • Ago
  • Set
  • Out
  • Nov
  • Dez

Pontos de Interesse

O que iremos visitar em Madagáscar

Uma viagem por algumas das mais remotas e selvagens regiões da ilha de Madagáscar. Entre muitos outros, estes são alguns dos pontos altos desta nossa viagem:

Antananarivo

Tana, como é vulgarmente conhecida a capital do país, é normalmente a porta de entrada em Madagáscar. Esta cidade movimentada é o resultado de uma fusão de culturas, predominantemente Malgaxe de influência malaio-polinésia com mistura de culturas africanas, árabes, indianas e europeias. Um caos organizado com inúmeras atrações históricas e culturais para serem exploradas, nomeadamente o Haute-Ville, bairro histórico de bela arquitetura, premiados restaurantes e ambiente agradável.

Andasibe-Mantadia

Andasibe-Mantadia inclui duas áreas protegidas separadas: Andasibe tambem conhecido como Analamazaotra NP) e Mantadia NP. Andasibe é o parque mais popular de Madagáscar devido à sua incrível bio-diversidade e por albergar a maior de todas as espécies de lémures, o indri, semelhante a um urso de peluche. O seu grito incrivelmente ruidoso ficará para sempre na sua memória.
É um parque bastante acessível com bons trilhos que permite caminhar na floresta húmida em busca de várias espécies de lémures, camaleões, rãs, e muitas espécies de aves.

Tsiribihina

Este rio selvagem nasce nas terras altas de Madagáscar e atravessa a ilha até desaguar no Canal de Moçambique. Foi durante muitos anos o único meio de alcançar a costa oeste. Ao longo de 3 dias e 2 noites iremos retomar essa antiga rota de navegação e descer ao ritmo da corrente até à sua foz no Oceano Índico. Pelo caminho passaremos por uma paisagem em constante mutação de bancos de areia, falésias e mangais, cascatas, desfiladeiros e paisagens deslumbrantes, sempre acompanhados pelos sons da natureza e os olhares dos lémures nas margens.

Avenida dos embondeiros

Este lugar é talvez o mais icónico de Madagáscar. Apesar disso, continua longe das multidões por não ser de fácil acesso. Nós iremos visitá-lo ao fim do dia, na melhor hora para uma fotografia memorável.
A invulgar concentração desta espécie de embondeiros apenas existente em Madagáscar faz deste lugar um local mágico.

Aldeia tradicional

Bem no coração da ilha, iremos ficar alojados numa tradicional casa de família rodeados de terraços de arroz, onde iremos conhecer o dia-a-dia da tribo Merina, descendentes dos primeiros povos de chegaram à ilha vindos da Indonésia. São conhecidos por serem os habitantes das terras altas, criadores de gado “zebu” e agricultores engenhosos na construção de terraços de arroz.
Uma experiência marcante e enriquecedora.

Praia de Kimony

Kimony é uma praia remota de rara beleza. Há apenas uma pequena aldeia nas proximidades, mas não há lojas nem restaurantes. Os pescadores vão e vêm nas suas pirogas, enquanto as suas mulheres e filhos aguardam o seu regresso à sombra dos poucos arbustos ao longo da praia.
Aqui a vida corre devagar ao ritmo das marés. Um cenário idílico para descansar, especialmente merecedor após uma viagem de aventura em Madagáscar.

Próximas Edições

Edições Agendadas

Escolha a edição da sua viagem e faça o seu pedido de reserva.

Entraremos em contacto consigo posteriormente para acertamos a marcação da viagem.

Gostava de viajar noutra data?
Personalize a sua viagem!
2024
06 Set - 16 Set

Aventura no Oitavo continente

  • 4 vagas
  • 2.860 € por pessoa
Reservar Viagem
Próxima Edição
Anunciada Brevemente
Estamos a preparar a próxima edição desta viagem.

Gostaria de viajar noutra data?

Não temos uma edição que se enquadre no seu calendário?

Temos a possibilidade de criar uma viagem à sua medida.

Data que gostaria de marcar a viagem:
Viagem Aventura Madagáscar

Itinerário da Viagem

O planeamento de cada dia da sua viagem.
  • Dia 1
    Antananarivo, a cidade das colinas

    Dia de chegada a Antananarivo. O nosso primeiro dia é destinado a receber os viajantes, fazer algumas compras e ultimar os preparativos para a aventura que temos pela frente. O líder de viagem irá fazer uma apresentação sobre os aspetos mais relevantes da viagem, uma breve explicação sobre o itinerário e logística e esclarecer quaisquer dúvidas que possam surgir.
    Teremos ainda tempo para conhecer um pouco a pacata cidade de Antananarivo ou relaxar no hotel.

    Alojamento: Nosy Manga hotel ou similar

  • Dia 2
    A ilha sem filtros

    Depois de tomarmos o pequeno-almoço no hotel, saímos cedo em direção ao nosso primeiro destino, o famoso Parque Nacional de Andasibe-Mantadia.
    Na estrada, passamos pela paisagem rural de Madagáscar com várias aldeias tradicionais ao longo do caminho. Será numa destas aldeias onde iremos almoçar um prato tradicional. Constatamos a autenticidade da ilha e das suas gentes.
    Chegada a Andasibe a meio da tarde, onde teremos ainda tempo para visitar a aldeia e o mercado local.
    Chegaremos ao hotel ao final do dia ainda a tempo de relaxar um pouco na piscina, antes de um delicioso jantar.
    Depois de jantar faremos um passeio noturno na Reserva de Analamazaotra para vermos algumas espécies de camaleões e lémures que apenas são ativos à noite.

    Alojamento: Matandia Lodge ou similar

  • Dia 3
    Andasibe - Mantadia, a floresta dos lémures

    Saímos cedo de manhã para fazermos a nossa caminhada. Este é o único parque nacional onde podemos encontrar o maior lémur de Madagascar, o Indri indri.
    Existe também um pântano com várias espécies de flora e fauna endêmicas desta região.
    É verdadeiramente surpreendente como numa ilha podem existir tantos ecossistemas distintos a curta distância entre si, cada um albergando espécies diferentes.

    Em Andasibe-Matandia, além dos indris, também poderemos ver lémures-lanosos, lémures-bambu-cinza, lémures-de-frente-vermelha, lémures-de-papo-preto-e-branco e sifakas-diademed (uma das maiores espécies de lêmures). Em 2005, o lémure rato de Goodman foi descoberto aqui e identificado como uma espécie distinta. Onze espécies de tenreco, o imenso e colorido camaleão de Parson e sete outras espécies de camaleão também são encontradas aqui. Mais de 100 espécies de pássaros foram identificadas no parque, juntamente com 20 espécies de anfíbios. O parque também abriga a palmeira endêmica Ravenea louvelii, que não é encontrada em nenhum outro lugar da ilha.

    Por todas estas razões, o Parque Nacional de Andasibe-Matandia é um lugar único, a não perder.

    Alojamento: Matandia Lodge ou similar

  • Dia 4
    Betafo, um dia no quotidiano malgaxe

    Deixamos Andasibe pela manhã e seguimos em direção a Betafo. A jornada será longa por estradas que se tornam cada vez mais difíceis à medida que entramos mais no interior da ilha.

    Ao longo da estrada temos uma vista panorâmica dos campos de arroz em socalcos e dos túmulos das Terras Altas de Madagascar, um marco importante da tradição animista bem presente na ilha, que poderemos explicar mais tarde.
    Fazemos uma breve paragem em Ambatolampy, para visitarmos os artesãos desta terra. Esta aldeia é particularmente conhecida pela mestria na manufatura de utensílios de alumínio que vendem para o resto da ilha. É uma experiência que o vai surpreender.
    Seguimos o nosso caminho, passamos pelo vilarejo de Betafo e continuamos por mais uns quilómetros até chegarmos à casa onde iremos passar a noite. Chegaremos ao final do dia mas ainda a tempo de conhecer e participar no dia-a-dia da população local.

    Alojamento: casa tradicional

  • Dia 5
    Miandrivazo, onde o tempo parou

    Hoje continuamos o nosso caminho pelo interior de Madagáscar  até chegarmos a Miandrivazo, uma pequena aldeia na margem esquerda do rio Tsiribihina. Aqui nesta aldeia tudo corre devagar. Tão devagar que mais parece que tudo parou no tempo.

    Aqui, iremos conhecer a equipa que nos irá acompanhar nos dias seguintes na nossa descida do rio de piroga. Após um pequeno briefing do nosso “capitão” nos próximos dias, poderemos relaxar um pouco a ver o pôr-do-sol na margem do rio.

    Alojamento: Hotel Princesse de Tsiribihina

  • Dia 6
    A tranquilidade das águas do Tsiribihina

    Partida de manhã em direção ao cais da aldeia de Masiakampy para iniciarmos a nossa viagem fluvial pelas águas calmas no majestoso rio Tsiribihina.
    Hoje navegaremos pelas vastas planícies cultivadas, atravessaremos as gargantas do maciço central das terras altas de Bemaraha e conheceremos muitos aldeões ao longo do rio.

    No final da tarde, faremos uma paragem refrescante para nadar no lago da cascata de Nosy Ampela (ilha das mulheres), um pequeno recanto paradisíaco com lémures à nossa volta.
    O nosso acampamento será montado nas proximidades, num grande banco de areia onde faremos uma fogueira e preparamos o jantar.
    Desfrute da sua refeição, ouvindo os sons do rio e dos pássaros ao pôr do sol.

    Alojamento: Acampamento

  • Dia 7
    A paisagem em mudança

    Continuaremos a navegar no rio Tsiribihina nesta que já foi, até há bem pouco tempo, a única via de comunicação entre o litoral e o interior da ilha.
    Hoje veremos a paisagem a mudar, desde as montanhas e floresta, por planícies e arrozais, a paisagem vai ficando cada vez mais seca à medida que nos aproximamos da costa. E, por isso mesmo, hoje iremos ver os primeiros embondeiros “Andasonia Za”, numa breve paragem na aldeia tradicional de Ambatomisay.
    Por volta do meio-dia paramos para almoçar debaixo de uma mangueira.
    À tarde, a equipa montará o acampamento num banco de areia e começará a preparar o jantar.
    Depois do jantar, iremos participar num espetáculo de dança tradicional à volta de uma fogueira.
    Aqui não há iluminação pública nem poluição luminosa, o céu polvilha-se de estrelas e o único som que ouvimos são as águas do Tsiribihina.

    Alojamento: Acampamento

  • Dia 8
    A famosa Avenida

    O nosso passeio pelo rio termina de manhã na pequena aldeia de Tsimafana.
    Despedimo-nos dos tamarindos, mangueiras, jujubeiras, palmeiras de viajantes e tamareiras que nos acompanharam nas margens ao longo dos últimos dias e entramos na região dos embondeiros.
    Deixamos as pirogas e seguimos viagem de carro em direção a Morondava. Fazemos um abreve paragem para almoçar numa das várias aldeias tradicionais que encontramos pelo caminho.
    A meio da tarde chegamos ao lugar mais icónico de Madagáscar, a famosa Avenida dos Embondeiros. Iremos ficar aqui até ao pôr-do-sol. Sem dúvida um lugar memorável, especialmente na “golden hour”.
    A viagem de hoje termina na costa, na bela praia de Kimony no conforto do lodge.

    Alojamento: Hotel Kimony Resort

  • Dia 9
    O paraíso no Oceano Índico

    Hoje iremos acordar num cenário completamente diferente, junto ao mar. Um pequeno pedaço de paraíso na praia de Kimony, no conforto de um lodge espetacular com vista para o Oceano Índico.

    Hoje temos o dia livre para simplesmente relaxar ou explorar a costa com atividades náuticas, snorkel ou simplesmente passear ao longo da praia e conhecer alguns dos pescadores que alegremente nos convidarão a passear de barco com eles.
    O almoço hoje não está incluído.

    Alojamento: Hotel Kimony Resort

  • Dia 10
    Reencontro com Antananarivo

    Antes de apanhamos o transfer para o aeroporto de Morondava, tempos ainda tempo de dar um último mergulho e despedirmo-nos da praia de Kimony.
    Deixamos Kimony a meio da manhã e segumos para o aeroporto de Morondava para apanharmos o nosso voo para Antananarivo.

    Depois de relaxarmos um pouco no hotel, seguimos para um jantar tradicional num dos melhores restaurantes de Antananarivo.

    Alojamento: Nosy Manga hotel ou similar

  • Dia 11
    Regresso a casa

    Hoje é o dia de regresso a casa ou de continuar a viagem pela ilha de Madagáscar numa das várias extensões que propomos, como Masoala, ao arquipélago de Nosy Be ou aos Parques Nacionais do Sul e Ifaty.
    Iremos organizar os transferes para o aeroporto consoante os horários de partida dos viajantes.
    Consoante o horário do voo de regresso ou da extensão de viagem, aqueles que ainda têm algum tempo disponível, podem aproveitar para descobrir um pouco melhor o centro histórico de Antananarivo e visitar o mercado de Digy.

    Vemo-nos brevemente num outro qualquer lugar em África!

O que está incluído na viagem

  • Alojamento 10 noites (8 noites em hotel/lodge e 2 noites em acampamento)

  • Transporte durante todo o percurso

  • Todos os transfers de & para aeroporto em Madagáscar

  • 10 pequenos-almoços + 9 almoços + 10 jantares

  • Acompanhamento 24h pelo líder Africando em português e diversos guias locais

  • Seguro de Viagem

  • Todas as entradas e taxas turísticas nos locais a visitar:
    – Parque Nacional Andasibe-Matandia
    – Reserva de Analamazaotra
    – Rio Tsiribihina
    – Cataratas de Nosy Ampela
    – Avenida dos Embodeiros
    – todas as atividades descritas no programa

  • As seguintes atividades:
    – Passeio em Antananarivo
    – Passeio na floresta do Parque Nacional Andasibe-Matandia
    – Passeio noturno na reserva de Analamazaotra
    – Visita guiada em Ambatolampy
    – Descida do Rio Tsiribihina
    – Visita à cascata de Nosy Ampela
    – Visita à aldeia de Ambatomisay
    – Visita à avenida de embondeiros
    – Jantar tradicional em Antananarivo
    – Visita a mercado de Digy

O que não está incluído na viagem

  • Voos internacionais

  • Voo doméstico Morondava – Antananarivo.
    * O preço dos voos está sujeito a alterações. Em média custa cerca de 200€.

  • Visto de entrada

  • Atividades não incluídas no programa ou descritas como Extra | Opcional

  • Alimentação não especificada

  • Outros transportes de cariz pessoal

  • Despesas pessoais e gorjetas

  • Almoço no dia 9 (dia livre)

Próximas Edições

Edições Agendadas

Escolha a edição da sua viagem e faça o seu pedido de reserva.

Entraremos em contacto consigo posteriormente para acertamos a marcação da viagem.

Gostava de viajar noutra data?
Personalize a sua viagem!
2024
06 Set - 16 Set

Aventura no Oitavo continente

  • 4 vagas
  • 2.860 € por pessoa
Reservar Viagem
Próxima Edição
Anunciada Brevemente
Estamos a preparar a próxima edição desta viagem.

Gostaria de viajar noutra data?

Não temos uma edição que se enquadre no seu calendário?

Temos a possibilidade de criar uma viagem à sua medida.

Data que gostaria de marcar a viagem:
FAQ

Perguntas Frequentes

  • Que outras informações relevantes?

    A inscrição e confirmação para esta viagem deve ser feita com a maior antecedência possível, uma vez que só existe um voo diário entre Morondava e Antananarivo e este voo fica sempre esgotado.

  • É uma viagem sustentável?

    Ao longo da nossa viagem implementamos uma série de práticas e conceitos de sustentabilidade com o objetivo de oferecermos uma viagem consciente, ecológica, ética e regenerativa.
    Na seleção dos nossos parceiros de alojamentos e serviços para esta viagem demos preferência aos operadores locais de menor dimensão e com maior impacto na economia local e criação de postos de trabalho locais ou àqueles que participam ou apoiam diretamente programas locais de conservação da natureza e desenvolvimento social.

    Ao viajar connosco está também a apoiar o nosso programa “Um por Todos“.

  • É possível adicionar mais alguns dias ou outros destinos?

    Sim, claro que é possível prolongar a sua estadia pré ou pós viagem.
    A ilha de Madagáscar é enorme e são necessários muitas semanas para podermos visitar todos os lugares.
    Recomendamos uma extensão a Masoala, ao arquipélago de Nosy Be ou aos Parques Nacionais do Sul e Ifaty.

    Só terá de nos comunicar com a maior antecedência possível e teremos todo o gosto em adicionar mais conteúdo à sua viagem.

  • É necessário visto para entrar em Madagáscar?

    O visto para entrar em Madagáscar é gratuito e pode ser emitido à entrada no país, no aeroporto ou entrada terrestre no posto fronteiriço.
    Terá apenas de pagar uma “taxa administrativa” de 10€ à entrada.

  • É seguro viajar em Madagáscar?

    Viajar nestes destinos apresenta os riscos habituais de viajar em países em desenvolvimento.
    Todos os lugares que visitamos e os alojamentos incluídos no itinerário são criteriosamente escolhidos tendo em conta um conjunto de condições, nomeadamente a segurança.

    O líder de viagem e os guias locais com quem trabalhamos são pessoas devidamente certificadas para orientar grupos em áreas remotas e com bastante experiência nos locais onde actuam.

    No 1º dia será feito um briefing com o líder de viagem para falar de todos os aspetos que merecem especial atenção.

  • É uma viagem fisicamente exigente?

    Esta viagem não apresenta desafios exigentes em termos de condição física. As caminhadas que realizamos são de curta duração, curta elevação e assegurando todas as condições de segurança.
    Não é, de todo, necessária uma grande forma física ou jovialidade para participar em todas as experiências incluídas nesta viagem.
    É, no entanto, uma viagem que pode gerar algum cansaço para algumas pessoas devido aos despertares matutinos, algumas noites em tenda e alguns quilómetros na estrada. Por experiência, após o 3º dia toda a gente entra no ritmo.

  • Pode-se realizar esta viagem em qualquer altura do ano?

    A época de chuvas pode ser bastante severa com  tempestades tropicais, normalmente nos meses entre Dezembro e Março. Evitamos viajar nesta altura.

    Todas as viagens que organizamos têm como objetivo proporcionar a melhor experiência possível aos nossos viajantes. Por isso, recomendamos que certas viagens se realizem em alturas específicas do ano durante as condições ideais em cada um dos destinos escolhidos, para que verdadeiramente possam apreciar o melhor que essas regiões têm para oferecer.

  • Que cuidados de saúde devo ter nesta viagem?

    Recomendamos todos os viajantes a fazer a Consulta do Viajante com antecedência.
    A profilaxia contra a malária é normalmente recomendada porém não é obrigatória para efeitos de entradas no país.
    A equipa de apoio tem um kit de primeiros socorros mas os viajantes devem trazer também o seu próprio pequeno kit, com a medicação básica necessária. Caso tome alguma medicação regular, aconselhamos a levar o necessário para toda a estadia, pois pode não ser fácil encontrar esses medicamentos nas farmácias locais.

  • Como é formado o grupo desta viagem?

    Qualquer pessoa se pode inscrever numa das Viagens Agendadas Africando. Estas viagens são criadas para viajantes que querem descobrir África na companhia de outros viajantes com o mesmo espírito e aproveitar os melhores preços e outras vantagens de viajar em grupo.

    Poderão inscrever-se viajantes individuais, casais, pequenos grupos, grandes grupos até um número máximo estipulado para essa viagem.
    Normalmente os grupos são muito diversificados com viajantes de várias idades.

  • Como são os alojamentos durante a viagem?

    O alojamento em camping será em tenda dupla de camas separadas, utilizando casa-de-banho partilhada, como num normal parque de campismo.
    O alojamento em hotel ou lodges será em quarto twin com casa-de-banho privada.
    Todos os viajantes irão partilhar a tenda ou quarto com outro viajante e devem fazer-se acompanhar de saco-cama próprio.

    Os viajantes que viajam em casal poderão solicitar, durante o processo de reserva, quarto duplo (1 cama de casal) em vez de twin (2 camas individuais). Sempre que possível, tentaremos satisfazer esse pedido.

    Podemos personalizar ainda mais o seu alojamento em viagem nas seguintes condições abaixo descritas:

    Em algumas noites, existe a possibilidade de fazer um upgrade e ficar alojado em quartos com casa-de-banho privada, em vez de camping. Se assim desejar, poderá solicitá-lo durante o processo de reserva. Será cobrado um valor adicional correspondente ao upgrade.

    Existe a possibilidade de realizar a viagem em regime individual. Se assim desejar, poderá solicitá-lo durante o processo de reserva. Será cobrado um valor adicional.

    Existe a possibilidade de antecipar ou prolongar a estadia. Se assim desejar, poderá solicitá-lo durante o processo de reserva. Será cobrado um valor adicional.

  • Como são as deslocações durante a viagem?

    As deslocações ao longo da viagem será maioritariamente realizadas em veículo 4×4.
    Durante 2 dias iremos usar pirogas.

    As distâncias a percorrer em Madagáscar são bastante extensas e as condições das estradas são invariavelmente más. É, portanto, uma viagem desaconselhada a pessoas com problemas de costas ou outros problemas de saúde que resultem em desconforto devido a algumas horas na estrada.

    Ocasionalmente iremos usar outros veículos nalgumas ligações entre etapas e transfers.

  • Como são as refeições durante a viagem?

    Dada a natureza desta viagem que nos leva a alguns locais bastante remotos, a  grande parte das refeições serão confecionadas nos locais por onde passamos ou onde ficamos alojados.
    Conforme mencionado nos items incluídos, as refeições estão incluídas durante a viagem.

    As refeições serão confecionadas tendo em conta o gosto e necessidades dietéticas específicas do grupo.
    Normalmente preparamos refeições diversificadas, rápidas e simples para o almoço quando estamos em trânsito e refeições mais elaboradas para o jantar de inspiração local com um toque europeu.

    A água potável será fornecida durante toda a viagem, pelo que recomendamos trazer uma garrafa reutilizável, assim evitamos acumular garrafas de plástico ao longo do caminho e ajudamos a reduzir nossa pegada ecológica. Refrigerantes, sumos, bebidas alcoólicas e aperitivos não estão incluídos, cada um poderá comprar por sua conta ao longo do caminho.

  • Como são organizados os transfers de/para o aeroporto?

    Os transfers de & para aeroporto estão incluídos e são organizados tendo em conta os horários dos voos dos viajantes.

  • Quanto dinheiro devo levar para a viagem?

    Nesta viagem, praticamente todas as despesas estão incluídas.
    Recomendamos levar cerca de 150 euros. Lembre-se que terá de pagar a “taxa administrativa” à entrada e por vezes o pagamento por cartão não está disponível.

    A moeda local é o Ariari. Alguns estabelecimentos aceitam Euros. Raramente aceitam outras moedas estrangeiras, nem mesmo dólares.
    Nos pagamentos efetuados em Dólares ou Euros poderá receber o troco em moeda local, que irá precisar ao longo da viagem.

    Existem ATMs em quase todas as cidades ao longo do caminho e esta é, sem dúvida, a maneira mais fácil de obter moeda local e também a maneira mais segura para evitar ter de levar muito dinheiro em numerário. Convém recordar que sempre que fizer um levantamento, terá que pagar uma comissão ao banco. Normalmente as comissões de levantamento são bastante superiores às de pagamentos com cartão. Os principais cartões de crédito podem ser usados nos hotéis/lodges, supermercados ou restaurantes. Algumas lojas mais pequenas poderão não aceitar cartões.

  • Há alguma idade mínima ou máxima para me inscrever?

    A idade mínima para realizar esta viagem é 10 anos e devidamente acompanhado/a por, pelo menos, um dos progenitores ou um tutor responsável.
    Não existe idade máxima para realizar esta viagem. Apenas se recomenda que os participantes tenham uma razoável condição física e espírito de aventura.

Para mais informações, consulte a página de Perguntas Frequentes.
Borda do Footer
Africando 2024 © Todos os direitos reservados
Open chat
Olá,
Obrigado por contactar a Africando.
O meu nome é Pedro Quirino e irei ajudá-lo(a) a encontrar a viagem a África perfeita para si.